Ir direto para menu de acessibilidade.
Portal do Governo Brasileiro
Início do conteúdo da página

Em pouquíssimos dias, perplexos e doloridos perdemos um filho, irmão, marido, pai, tio, parceiro, amigo, funcionário, colega... Como ele, nós todos temos muitos papéis no mundo e tentamos nos desdobrar, cumprindo cada um deles... Errando, acertando, magoando, amando e edificando passamos pela Terra...

Assim foi também com nosso amado José André da Motta Júnior, que depois do nascimento de cinco mulheres, veio alegrar a família, dar continuidade ao seu nome, num tempo em que o sobrenome do marido se sobrepunha ao da esposa.

Alegre, gozador, honesto, turrão e companheiro, sempre apaixonado por descobertas, o menino foi crescendo e assim permaneceu por cinquenta e quatro anos.

No meio do caminho, o jovem, como aprendiz no C.T.A ( que no seu coração traduziu como “Compromisso, Trabalho e Amor”) foi abençoado com mestres e companheiros, alguns sem títulos acadêmicos, outros diplomados, altas patentes militares e iniciantes na carreira e, cada um ao seu modo, foi ajudando a construir o engenheiro José André !

Queremos agradecer a todas as vidas que passaram pela dele, compartilhando seu amor incondicional ao local de trabalho, onde estava sua segunda família, seus sonhos de continuar os ideais dos pioneiros, elevando o nome do país, fazendo o melhor, com o que estivesse em mãos!

Profundamente emocionados, agradecemos também aos que puderam amenizar a nossa dor, velando conosco o André, (Júnior, Juninho, Juquinha, Dedé...)

orando por ele, derramando lágrimas e sorrindo com as lembranças, oferecendo seus abraços e suas palavras de consolo para que a despedida tão doída tivesse amparo...

            Respeitosamente, gostaríamos de pedir a todos, em nome do querido que partiu: continuem os trabalhos que ele deixou sem conclusão, lembrem-se dele com amor e alegria, perdoem as mágoas que porventura tenha causado e, em suas preces, mencionem seu nome, pois acreditamos que ele, mesmo no Lar Verdadeiro, não se esquecerá de ninguém com quem dividiu a vida e precisará acalmar a saudade!

Após 45 dias fechado, o Observatório foi reaberto para a comunidade.

O Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE) do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeronáutica (DCTA) em São José dos Campos comemorou no dia 20 de outubro seu 63º aniversário. Além de celebrar o aniversário do instituto os funcionários puderam prestigiar a reinauguração do Observatório Astronômico que foi reformado após um incêndio.

Depois de quase dois meses interditado para reforma o Observatório voltou a funcionar e atrair funcionários, familiares e a comunidade para acompanhar os eventos astronômicos. O prédio já estava em obras para melhorias e reparos, mas por complicações nas reformas, as instalações acabaram sendo foco de um incêndio que destruiu parte da cúpula que abriga o telescópio – que não sofreu nenhum dano.

Inaugurado no final dos anos 60, o Observatório Astronômico foi, de longe, o maior instrumento astronômico totalmente construído à época, na América do Sul, e proporcionou a formação da primeira geração de Astrônomos no Brasil e gerou inúmeras teses de mestrado e graduação que se encontram na Biblioteca do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA).

O observatório faz parte do IAE desde de 1996 e traz sessões de observação astronômicas para funcionários e também para o público geral e escolas. Pesquisadores do INPE colaboram no posicionamento dos telescópios, no mapeamento dos fenômenos e nas dúvidas dos visitantes.

Os funcionários e convidados que estavam presentes no luau de aniversário, que já está em sua 6ª edição, puderam aproveitar a reabertura do Observatório para olhar os astros, além de saborear alguns lanches e bebidas oferecidas pelo Instituto. A festa também contou com atração musical, além de pipoca e algodão doce para agradar as crianças.

O Observatório está aberto às terças-feiras, das 19h30 às 21h30, a fim de receber comitivas de escolas de todo o Vale do Paraíba e visitantes interessados em astronomia. Também recebe, anualmente, os alunos da Olimpíada Brasileira de Astronomia - OBA, da Agência Espacial Brasileira (AEB).

 

 

 

 

 

 

No dia 29 de junho às 12h30, ocorreu com sucesso a Operação Harpia, o ensaio em banco do Motor a Propelente Sólido S43. O teste ocorreu no Banco de Provas Horizontal da Usina Coronel Abner (UCA), de capacidade de 1000kN. Estiveram envolvidas nestes 60 dias de atividades mais de 100 profissionais, incluindo-se as equipes do IAE e apoio do GAP-SJ e equipe de bombeiros da EEAR.
O objetivo do ensaio foi validar o modelo de análise de bolhas em grão propelente e a consequente liberação para voo dos demais motores S43 carregados a estocados na UCA.

Foram monitoradas as características propulsivas, tais como: impulso específico, velocidade característica do propelente e coeficiente de empuxo, além de características físicas, tais como pressão, vibração e temperatura.


Informações técnicas

O Propulsor S43 será empregado no 1º estágio do Veículo Suborbital VS-43, que será uma plataforma de testes em voo para desenvolvimento de soluções para acesso o acesso ao espaço.

 

Características do propulsor:

Massa de propelente = 7100 kg
Tipo de propelente = compósito (resina polibutadiênica, perclorato de amônio e alumínio)

Valores estimados do ensaio:

Tempo de queima = 60 s
Pressão nominal na câmara do motor = 6 MPa
Empuxo nominal = 280 kN


O Instituto de Aeronáutica e Espaço (IAE) reabriu nesta quinta-feira (19/10), às 19 horas, seu Observatório Astronômico. 

O Observatório passou por uma manutenção na sua infraestrutura predial nos últimos meses, após um incidente que danificou parte de sua cúpula. Os reparos necessários na estrutura foram realizados e o Observatório abre suas portas todas às terças-feiras, a fim de receber comitivas de escolas de todo o Vale do Paraíba e visitantes interessados em astronomia. Também recebe, anualmente, os alunos da Olimpíada Brasileira de Astronomia - OBA, da Agência Espacial Brasileira (AEB).

Sobre o Observatório

Inaugurado no final dos anos 60, o Observatório Astronômico foi, de longe, o maior instrumento astronômico totalmente construído à época, na América do Sul, e proporcionou a formação da primeira geração de Astrônomos no Brasil e gerou inúmeras teses de mestrado e graduação que se encontram na Biblioteca do Instituto Tecnológico de Aeronáutica (ITA).

Hoje, dia 22 de dezembro o Instituto de Aeronáutica e Espaço - IAE sediou a assinatura do contrato de produção dos motores S50 para os projetos VS-50 e VLM-1.

Estiveram presentes os Exmos Srs Diretor-Geral do Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial-DCTA, Ten Brig do Ar Antonio Carlos Egito do Amaral e Diretor do IAE, Brig Eng Augusto Luiz de Castro Otero, o Presidente da Avibrás, Eng João Brasil Carvalho Leite e demais integrantes da empresa e o Diretor de Projetos da Fundação de Ciência, Aplicações e Tecnologia Espaciais - FUNCATE, Dr. Donizeti Andrade.

Este contrato encerra um extenso trabalho que se iniciou  em setembro de 2015 com a elaboração do Termo de Referência nº 024/2015, no qual o IAE solicitou à FUNCATE a elaboração do Pedido de Oferta para o fornecimento de oito motores S-50, necessários para todas as fases dos projetos VS-50 e VLM-1, até o primeiro voo dos protótipos de cada projeto.

Após mais de um ano de análise dos volumes gerencial, técnico e comercial, onde profissionais do IAE e do GAC-EMBRAER aprofundaram as discussões nas três áreas, chegou-se à Oferta Final Revisão C, de novembro de 2016, da única ofertante, a AVIBRÁS Divisão Aérea e Naval S.A.

Ao longo dos próximos vinte e seis meses a empresa deverá industrializar o projeto do motor S50 e produzir seis motores e seus acessórios, e será acompanhada por técnicos do IAE e do Instituto de Fomento e Coordenação Industrial - IFI para o bom desempenho do contrato do ponto de vista técnico e de qualidade, e pela FUNCATE do ponto de vista gerencial, financeiro e administrativo. Os dois motores restantes serão objeto de Termo Aditivo ao contrato, após a revisão, submissão e aprovação de Termo Aditivo ao Convênio 001/2015, entre o IAE e a FUNCATE, para o desenvolvimento do VLM-1.

O IAE agradece o esforço e o apoio de todos os servidores e militares do Instituto, do GAC-EMBRAER, do IFI, da FUNCATE, da AVIBRAS e da Agência Espacial Brasileira -AEB para que fosse possível atingir este importante marco para o desenvolvimento do Veículo Lançador de Microssatélites.

Fim do conteúdo da página